Sociedade Ordo Templi Orientis no Brasil®




NAVIGATION


 

 

 

Nota Editorial

 

O movimento a que esta publicação pertence está representado atualmente por três ordens iniciáticas, a saber: a A\ A\ , a Ordem de Télema, e a O.T.O.

A A\ A\ ( cujas iniciais foram interpretadas no passado como Argentum Astrum — Estrela de Prata — e Adeptus Atlantes e Alcoólicos Anônimos, mas representam tudo isto e mais que isto, sendo o verdadeiro significado do Nome da Ordem incompreensível aos profanos) é uma Ordem de Trabalho individual em cadeia, na qual membros abaixo de um certo grau só conhecem aqueles que os introduziram e aqueles a quem introduzem. Está dividida em dez graus hierárquicos e três estágios intermediários, a saber: Probacionista, Neófito, Zelador, Prático, Filósofo, Dominus Liminis, Adepto Menor, Adepto Maior, Adepto Isento, Bebê do Abismo, Mestre do Templo, Magus e Ipisissimus. A presente publicação é uma iniciativa da A\ A\ , que aceita tanto homens quanto mulheres.

À Ordem de Télema só podem pertencer membros da A\ A\ a partir do Grau de Zelador, e detalhes da sua organização não são, portanto, revelados em público.

A O.T.O. (Ordo Templi Orientis) é uma ordem maçônica, isto é, de trabalho coletivo, dividida em onze graus e três círculos: Externo, Interno e Secreto. A O.T.O. foi uma das primeiras ordens do passado Aeon de Virgo-Pisces a aceitar a Lei de Télema promulgada pela A\ A\ , reformulando-se de acordo. Também a O.T.O. aceita tanto homens quanto mulheres.

Interessados em contato com a O.T.O. poderão dirigir cartas ao seguinte endereço:

 

Caixa Postal nº 418

14801-970 - Araraquara - SP

ou

 

socotonobrasil@socotonobrasil.org.br

 

Quanto a A\ A\ , entretanto, ninguém — infelizmente — presentemente em nosso país, está apto a receber probacionistas nessa Ordem. Outrossim somente à guisa de informação: A A\ A\ está atualmente em seu período de Fala até ao meio-dia, hora do Cairo, Egito, do dia 8 de abril de 2001 e.v., e nos cinco anos subseqüentes a essa data, estará no seu período de Silêncio. O Público em geral fica categoricamente avisado de que quaisquer pessoas que "aceitarem" Probacionistas no Brasil em nome da A\ A\ , estarão mentindo, e absolutamente não representam, nem poderiam nunca representar, seus legítimos Instrutores.

Cartas devem vir acompanhadas de envelopes já endereçados e com selos suficientes para resposta. Reservamos o direito de não responder aquelas que não obedeçam a esta condição, ou que não sigam as regras da boa educação.

Em matéria de ocultismo o charlatanismo impera.

A fim de evitar que pessoas inocentes sejam vitimadas por gente sem escrúpulos, julgamos melhor apor a esta Nota as seguintes informações a respeito de legítimos representantes do movimento iniciado por Aleister Crowley ou TO MEGA THERION (666), A Grande Besta, Magus do Aeon de Aquário-Léo, Ipsissimus da A\ A\ , Fundador da Ordem de Télema, Cabeça Externa da O.T.O. sob o Nome BAPHOMET IXº, Xº e XIº O.T.O.

No Brasil: Marcelo Motta (já falecido), Magister Templi e Praemonstrador Mundial da A\ A\ , foi recebido na Ordem de Télema por THERION e iniciado no IXº O.T.O. por Karl Johannes Germer (Frater SATURNUS Xº O.T.O.), Cabeça Externa da O.T.O. após a morte de Aleister Crowley (que o designou por testamento e a viva voz antes de morrer). Marcelo Motta subseqüentemente alcançou o XIº O.T.O. sob a tutela de Frater SATURNUS, e era conhecido na O.T.O. como PARZIVAL XIº. Marcelo Motta era o responsável pelo trabalho da O.T.O. no Brasil, com patente de SATURNUS Xº.

Pertenceram à O.T.O., mas foram expulsos por conduta indigna os seguintes elementos

Na Inglaterra: Kenneth Grant, IIIº O.T.O. por autoridade de SATURNUS Xº, foi expulso da Ordem em 1955 pelo mesmo SATURNUS Xº, sendo a devida circular de aviso enviada a todos os Irmãos Legítimos. Kenneth Grant tinha autoridade de SATURNUS Xº para trabalhar exclusivamente com os Três Primeiros Graus, ou o Círculo Externo, da O.T.O. com o falecimento de Frater SATURNUS, este mesmo Kenneth Grant se atreveu a utilizar os rituais que originalmente recebera para fingir-se de Cabeça Externa da O.T.O. Este charlatão não está de forma alguma ligado ao movimento original, mas aproveitava-se do fato que a sigla O.T.O. nos EE. UU. é de domínio público para tirar dinheiro dos incautos (1).

(1) Veja-se Ritual Magic in England, de Francis King, assim como The Secrets Rituals of the O.T.O., do mesmo autor, para maiores detalhes.

No Brasil: Euclydes Lacerda de Almeida, IIIº O.T.O. por decisão de PARZIVAL XIº, trabalhou como discípulo deste por vários anos antes de lhe ser confiada uma patente dando-lhe autoridade para estabelecer o movimento do Círculo Externo da O.T.O. no Brasil. Tendo sido suspenso da Ordem em 1975 e.v. por má conduta, deixou-se obcecar pelo ego e demitiu-se. Procurou ligação com Kenneth Grant, cujo endereço lhe havia sido dado por PARZIVAL XIº como ordália, e buscou estabelecer o movimento charlatanesco e espúrio do inglês, utilizando os documentos nem de sua propriedade nem de sua autoria.(N.E.1)

(N.E.1) Nos dias de hoje este senhor ainda vem dando ares e rompantes de "alto iniciado", principalmente após a morte de Parzival XIº (Marcelo Motta). Antes disso não se atrevera a desentocar-se — a não ser certa feita ao solicitar a aquisição de um livro de autoria de Motta que acabara de sair do prelo, Ataque e Defesa Astral, cujo cheque de sua emissão lhe fora devolvido com o recado: "não nos procure mais, não queremos nada com o senhor". Com efeito, porém, nem os restos do finado Motta arrefecera ainda e já empreendera o Sr. Almeida, viagens, principalmente a Ribeirão Preto, para botar suas unhas de fora, acompanhado de seus "cavaleiros", principalmente um lambe-botas, alcoviteiro, puxa-sacos e sanguessuga; um tal alcunhado "Lancelot".

Na Suíça: Joseph Metzger, Xº e Rei Suíço da O.T.O. por decisão de Frater SATURNUS Xº, foi suspenso da O.T.O. em 1963 e.v. por se nomear a si mesmo Cabeça Externa da Ordem, com a conivência dos membros de sua própria Loja, e expelido do Santuário da Gnose por PARZIVAL XIº em 1964 e.v. por persistir em sua charlatanice a despeito da desaprovação de todos os representantes legítimos em outros países (2) (N.E.2).

(2) Devido à desordem produzida por estes e outros charlatães, foi julgado conveniente publicar os Rituais a que eles tinham acesso, o que foi feito em the secret Rituals of the O.T.O., de Francis King. Mr. King não é um Irmão da O.T.O., mas apenas um literato que foi encarregado deste trabalho. Quanto à legítima Autoridade da O.T.O., da A\ A\ e da Ordem de Télema, leitores sérios poderão consultar The Commentaries of AL, por Aleister Crowley e Marcelo Motta, seção The O.T.O. Manifesto, pp. 269-272, editado por Samuel Weiser, Inc. em 1975 e.v..

(N.E.2) Os leitores deverão consultar também Serviços de Inteligência não são Inteligentes ou a O.T.O. desde a morte de Crowley Partes I, II e III, para mais detalhes a respeito de outras "personas non gratas" nas Ordens sobre as quais neste Editorial falamos.

Movimentos coletivos no plano físico estão sempre sujeitos a manifestações de corrupção. Portanto, na O.T.O., Autoridade Vitalícia é raramente outorgada, e somente a membros do Círculo Interno. Qualquer patente está sujeita à Autoridade da Cabeça Externa da Ordem ou à de seus representantes, e pode ser revogada caso o outorgado demonstre sinais de desonestidade, indisciplina, ou obsessão egóica.

 

 

     Página Principal

 

 



O.T.O© 2010 e.v.